Estado Civil: Quase lá!

Agora sim to me sentindo "noiva" de verdade. Não, porque é aquilo, quando você fica noiva mas não tá preparando as coisas pro casamento, você simplesmente entende que agora você foi "promovida". Todo mundo te vê como "A noiva do fulano", o que passa uma seriedade muito maior do que a "a namorada dele". E é quando todo mundo se toca também de que o fulano não tá te enrolando e tem, mesmo que em alguns casos seja bem pequena, alguma intenção de casar com você.

Quando fiquei noiva foi assim. Me senti promovida sabe, rs. Um poquinho mais importante. As pessoas da família dele passaram a me olhar de um outro jeito. De um jeito que eu gostei mais. De um jeito tipo "É, o negócio com ela é sério!", mas na realidade ainda não era noiva no sentido total da palvra. Noiva que é noiva mesmo é aquela que tá correndo atrás das coisas pra casar. É aquela que sonha com carro de aluguel, prova do vestido e bem-casados. E eu tô começando a entrar nessa fase. E vô te falar... É uma delícia!

Minha mãe tá mais empolgada que eu. Essa semana ela me deu uma revista de vestidos de noiva que é um escândalo. Eu fiz uma pré-seleção dos que eu mais gostei, que ao todo, foram quatro. Depois de mais uma filtragem vou ficar com dois, porque quero vê-los no corpo. O penteado já escolhi. Na verdade, o penteado eu já tinha escolhido antes mesmo de ter um namorado, rs. O buquê também ja tinha escolhido, mas eu já tinha o namorado quando escolhi, só não era noiva ainda.
Mas são tantos detalhes que ainda faltam ver... Buffet, decoração (também já está meio que selecionada!), convites, móveis... ufa!

Por falar em móveis, compramos nossa cama essa semana! Veio um ventilador junto, e ai meu pai ficou zuando que a gente não dorme mais no chão e nem vai passar calor, rs. Já vi a cabeceira da cama que eu quero (A cama é box), os criados-mudos (o Renan não quer mais não importa, vamos ter mesmo assim), o guarda roupa, a geladeira, a máquina de lavar.

Tenho ganhando muitas coisas, graças a Deus, porque vocs não sabem como casar é caro. Mesmo ganhando bastante coisa, ainda é um valor altíssimo, mas eu penso que vale a pena ser pago quando temos certeza do que queremos, e que será um casamento sem dúvida pra vida inteira.

Os móveis não quero ganhar porque pode ser que não me deêm do meu gosto e ai vocês verão um filme que nunca passou no cinema: "Noiva em fúria". Então, prefiro morrer numa graninha e comprar tudo do meu jeito... <a href=

Optamos por apartamento e já começamos a ver algumas coisas, mas ainda é cedo pra procurar isso. Estamos procurando mais pra ter uma noção mesmo. Nunca me esqueço da Isabela falando: "Carol... Leva a sério essa história de agitar as coisas do casamento um ano antes, senão tu vai ficar louquinha. Eu quase pirei...". Por isso é que tô correndo atrás cedo. É melhor prevenir do que remediar né?

Ontem, finalmente fui ver o salão, que inclusive, já está fechado! Só tinha data ano que vem, mas como deixei o salão na mão do Renan (sim podem me chamar de corajosa, rs), ele foi lá, e perguntou a moça se tinha alguma coisa marcada no dia 08 de novembro. Ela disse que tinha sim, e era um casamento. Aí ele meio que desanimou e ela falou assim: "Peraí, deixa eu ligar pro casal que reservou". E para a nossa surpresa quando ela ligou o casal desistiu! E agora, o salão é meu nesse dia e ninguem tasca!
Lá é enorme. Cabem meus 400 convidados tranquilamente, e ainda tem um espaço ótimo pra fazer uma pista de dança neurótica. Tem um jardim lindo na frente, e um campo atrás do tamanho de 4 campos de futebol. É perfeito! E eu nem conto pra vocês o preço! Porque se eu contar todo mundo vai querer casar lá, rs.
Mas só foi o preço que foi porque ele é militar. Tira tanto serviço e me abandona que tinha mesmo que ter um privilégio né...

Agora só tô meio encucada com o buffet e os convites porque não vi nada disso ainda. E sei que se eu não correr atrás não vô achar nenhum, porque tem buffet que fecha casamentos todos os finais de semana do ano. Mas seu nao achar dane-se, não vô mudar a data, vo procurar até cansar. E se eu não achar meus convidados vão comer miojo e brigadeiro de panela. rs

Fiquei pensando ontem na hora de dormir que tem pessoas que eu queria muuito que fossem sem falta, mas não sei se irão. Uma dessas pessoas é o Verllen. Bem, ele não foi no do Rapahella, logo não sei se irá no meu. Mas gostaria muito de vê-lo lá, gosto muito desse menino. A Nathy também. Mas essa vai, nem que seja de carroça, faço a maior questão dela lá. É capaz de eu ligar pro celular dela no meio da festa pra perguntar porque não foi, rs. E por fim, tem a Danni. Nó criamos laços fortes, e aprendi a gostar muuuito dessa garota gente. É lóooogico que vô mandar um convitão pra ela, mas não sei se ela vai. Ela é o Marquinhos claro, rs. Não sei se vai porque ela mora longe, porque ela é meio timida de vez em quando, ou as vezes por motivos que nem sei quais são... mas queria muito que essa moreninha fosse...

Bom, em resumo é isso... Conforme o tempo for passando eu vou atualizando as novidades por aqui!

Meu beijo,
Carollll

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments

Honra e orgulho

Hoje eu voltei a falar com Deus. Nós tinhamos brigado a nove meses atrás. Tivemos uma pequena reconciliação em setembro do ano passado, mas que não durou nem um mês. Mas isso tudo acabou hoje. Percebi o quanto fui cruel e idiota. Cruel com ele, e idiota comigo mesma. Mas isso é um assunto que não pretendo explorar. Pelo menos não nesse post.

Hoje terminei de ler "O caçador de pipas". Como chorei. Tenho pena do Afeganistão. Tenho mais pena das crianças do Afeganistão. Vim pra internet pesquisar mais sobre aquele país e fiquei chocada. O Afeganistão tem muitas crianças, e pouca infância. Muitas teorias, pouca prática. Muita religião, pouca fé. É humilhante o que as pessoas fizeram com um país que tinha um futuro promissor pela frente. Aquilo virou terra de ninguém... sem lei, sem regras. O povo Afegão virou refém em seu próprio país. Destruiram seu watan, sua terra. Deve ser triste dormir em uma mansão, com a cabeça sobre um traveseiro de pensa de ganso e o quarto cheirando a colônia, e acordar como mendigo, lutando para sobreviver.

Enquanto tomava banho após ler o livro comecei a pensar em religião. Esse é o maior mal. Nunca fui xiita nem sunita, e sempre achei um tanto estranho esse lance deles ficarem se batendo para purificar os pecados. Mas acho muito bonito as orações que eles fazem três vezes ao dia, o fato de jejuarem durante o Ramadã, a fé que alguns deles ainda cultivam mesmo em meio a toda essa falta de esperança. Convivo no meio evangélico a mais de 10 anos, e mesmo nesse meio acho que a religião (ou a religiosidade) é o maior problema de todos.
São pessoas que vão à igreja todos os domingos, carregam a bíblia debaixo do braço, mas sequer conhecem a Deus. Por isso, eu preferindo não me enganar e não enganar ninguém, prefiro brigar com ele.

Hoje sentei e sem motivo nenhum aparente comecei a chorar. Senti uma coisa estranha mas muito boa ao mesmo tempo. Pode parecer loucura, mas parecia que Deus estava dentro do banheiro do meu quarto. Chorei muito pensando em algumas coisas da minha vida, coisas do meu passado. Mas chorei sem culpa.

As pessoas que vâo a igreja, a maioria delas, não sabem quem é Deus. Servem a um Deus que não sabem quem é. Elas inventam, fazem fofoca, são cruéis. Usam as coisas da bíblia contra os próprios "irmãos". Lá do outro lado do Atlântico, no Afeganistão a religião também atrapalha. Só que lá, ao invés das fofocas e picuinhas, eles matam.

Acho que deveria existir mais fé que religião. Por isso que digo às pessoas que não tenho religião. É simples, eu procuro seguir o que tem na bíblia, acredito que Jesus seja Deus, e que ele morreu pelos nossos pecados. Se quiserem chamar isso de Cristianismo chamem. Se quiserem chamar de Catolicismo chamem, ou até espiritismo. O que as pessoas precisam entender é que Deus importa muito mais que colocar uma saia até o pé e não poder cortar o cabelo. Muito mais que não poder sair sem véu na rua.

Tem famílias inteiras no Afeganistão que estão morrendo por causa da religião. Por causa da realidade que "ninguém pode mudar" de que uns são xiitas e outros sunitas e que não podem conviver juntos. Com isso, a infância é roubada, a velhice chega rápido, e a morte mais cedo. Pessoas são apedrejadas nas ruas. Outros, enforcados e ficam dias lá no poste pra quem quiser ver, com a cabeça roxa e a corda no pescoço.

Mas tem uma coisa que lendo o livro descobri. Uma coisa que a Globo não mostra. Que nenhum canal à cabo mostra. Que a internet não mostra.
A infância lá, é igual aqui. Os meninos afegãos, são tão meninos como os meninos brasileiros. Eles gostam de soltar pipa, de jogar bola de gude, e até futebol eles jogam. Diferente do que o jornal mostra, não é verdade que todos eles ja nascem com o fuzil na mão indo pra "guerra santa". Aquela terra bebeu o sangue de muitas crianças que clamavam por infância. Que cresecram cedo demais. Que não tiveram chance de serem meninos e tiveram que nascer homens.

O mundo está doente. E as pessoas estão por ai se preocupando com moda. Com o que a Glória Khalil disse no Fantastico. Qual vai ser a nova tendência da Maria Bonita no Fashion Rio, quem vai ser a nova cara da SP Fashion Week. E enquanto isso, crianças de 6 anos (ou menos), são abusadas sexualmente na Índia. Uma vez ouvi uma história contada pela Ana Paula Valadão em seu DVD, que ela dizia que eles tinham uma ONG que ajudava crianças na Índia. E certa vez eles trouxeram para o Brasil uma menina de 5 anos, que foi vendida pela sua família para a prostituição em troca de comida. Ela foi tão abusada que o ânus e a vagina dela se tornaram uma coisa só. Apenas cinco aninhos. E uma cabeça doente teve coragem de fazer mal à ela.

Concordo que o pior pecado que pode existir é roubar. Roubar de uma criança o seu direito à infância. Roubar de uma criança seu pai, da mulher o marido. Roubar o direito de ser feliz. Mas que diferença faz roubar qualquer direito que seja em uma terra a qual ninguém tem direito a nada?

As pessoas perderam sua nang e namoos. Perderam sua honra e seu orgulho. E ao invés de um monte de homens barbudos e mulheres cheias de véus idiotas, era isso que deveria ter ficado.

Nang e Namoos. Honra e Orgulho.

Salaam,
Carolina jan.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments

Happy new year!

É gente o Natal passou... e 2007 também. Meu Natal foi uma raridade. Acho que foi o primeiro Natal que fiquei acordada até tão tarde. Fomos dormir às 4h da manhã! Pelo amor de deus, natal não é festa pra badalar né?! Mas tudo bem. Fiquei na casa do meu avô paterno e foi muito engraçado. Nós rimos o tempo todo. "Meu povo" é muito engraçado. Era cada história, cada piada, foi divertidíssimo. Quando foi uma hora da manhã meu Rê chegou (ele tava com a família dele), e ai completou a alegria.

Ganhei poucos presentes. Cada ano ganho menos que no ano anterior. Dessa forma percebo que estou crescendo. ninguém fica dando presentes pra uma moça "barbuda". E dos poucos que ganhei a maiorira foi dinheiro (o que sinceramente acho muuuuuito melhor que presentes).


Mas não acho ruim não. Me sinto "adulta". Sinto-me madura. E agradeço a Deus por não ganhar porém, poder comprar.
No dia 25 fui à um churrasco na cada da Tia Silvinha (Tia do Renan). Adoro ir lá, o povo da família do Rê é muito animado. As "titias" parecem que tem 15 anos! rs. Morri de rir também.
A semana depois do Natal seguiu tranquila e sem muitas novidades. Trabalhei nos outros dias, e correu tudo como planejado.
No dia 28 o Renan me deu a notícia que íamos passar o ano novo separados. Na hora nem liguei. Só fui ligar quando sentei e parei pra refletir em cada palavra que saíra de sua boca. O quartel sempre rouba ele de mim, e eu sempre relevei, mas pô, ano novo é sacanagem... Mas fazer o que? Se conformar. Nã há mais nada à fazer, até porque, quando ele entrou no quartel, ele assinou um termo de dedicação exclusiva e absoluta. No dia que chamarem, tem que ir. Comecei a me acostumar com a idéia. No dia 31 ele foi trabalhar comigo de trem (!). Ele seguiu rpo quartel e eu pra Saens Pena. Cheguei em casa 15h e cai na cama. Só acordei às 21h. E já acordei me arrumando pra ir pra igreja, ia ter um culto de ano novo. Estava completamente desanimada. Completamente sem vontade de comemorar nada. E pra completar ainda ia trabalhar no dia primeiro, faço folha de pagamento, e a folha tem que ser rodada no primeiro dia do mês, independente de ser feriado, meu aniversário, meu casamento, ou qualquer outra data comemorativa.
O culto terminou e enquanto todos se felicitavam, eu só pensava em ligar pro Renan. Ele tava no quartel lá na Urca, praia vermelha. Quando enfim consegui falar com ele, virei uma poça d'água lacrimejante. Chorei muito. Muito mesmo. a sensação de impotência por estar longe dele e não poder fazer nada para mudar a asituação me rasgava por dentro. Poxa, ano novo é dia de comemorar com quem a gente ama! Nada a ver ter que ir pro quartel. Tenho vontade de matar todos os oficiais, generais, coronéis, brigadeiros, e beijinhos, rs.
Quando chegamos em casa (churrascão rolando), eu prometi a mim mesma que ia dormir 2h, porque tinha que acordar cedo pra trabalhar, mas acabei dormindo só as 4h. Fizemos o amigo oculto, que foi show de bola por sinal, e depois ficamos comendo e jogando conversa fora. Dormi às 4h, acordei às 6:30 e fui trabalhar. Trabalheir de 7h às 21h. Sim, pasmem. Folha de pagamento é isso mesmo. Se a gente não der nosso couro pra empresa toda receber direitinho, vão ser 800 funcionários querendo matar a gente.
Eu só sei que eu passei o feriado do dia 1° todinho conferindo contra-cheques enquanto o povo aqui em casa se esbaldava no churrasco. Em alguns momentos me bateu mó deprê lá na empresa de pensar que eu tava lá ralando e meus amigos e meu noivo aqui em casa se divertindo. Fiquei mais deprê ainda quando lembrei que o Rê tava aqui e eu lá. Eu cheia de vontade de vê-lo, de sussurrar um "eu te amo", de dizer "feliz ano novo" ao pé do ouvido, e não podia. Quando saí de lá às 21h da noite, só pedi a Deus que um milagre fizesse o Renan ainda estar aqui quando eu chegasse. Ele mora bem longe de mim e não gosto que ele vá muito tarde. Mas não tem problema, dia 08 de novembro isso muda. Ele vai ficar tão perto, que nunca mais terei esse problema.
Quando cheguei todos ainda estavam aqui. Inclusive meu príncipe. Fui ao céu. Chorei um pouquinho porque ninguém é de ferro né, e abracei muito meu sapo (Renan, rs). Conversamos um considerável tempo e já tivemos que nos despedir porque eu precisava dormir porque ia trabalhar no dia 02. Pois é, trabalhei direto. Mas fui recompensada por isso =]
No domingo fomos à praia e enfim consegui "perder" aquela cor de escritório. Tô com um bronzeado estiloso hein! E tô pretendendo ir à praia esse findi novamente.
Gostaria de agradecer à todas as mensagens lindas de ano novo que recebi no celular, no orkut, msn e etc.
Em especial:
À Kamilla, minha parceira de folhaaaaa! Me ligou 00:00 do dia 31, e eu me senti muito importante!
À Valeska, que me mandou uma mensagem lindinha no Natal e me fez sentir-se a pessoa mais querida dessa terra.
Às chechelentas do NAA! Lindas, que me fazem rir todos os dias, que alegram minhas manhãs e tardes. E que me tratam com o maior carinho e consideração, e às vezes umn esporrinho básico só pra não perder o costume (essa parte fica com a Bruna! Que puxa minha orelha toda hora, mas que eu adoro e que me elogiou semana passada e que me fez ir ao céu com o elogio! Menina linda que eu admiro muito a força e a garra!)
À alguém que eu estou gurdando as minhas palavras todos esses dias. DANIELA!
2007 foi o ano que eu tive a sorte de te conhecer, e 2008 vai ser o ano que eu vou ter o privilégio de te conhecer mais! No que depender de mim (espero que de você também), quero lapidar em 2008 esse diamante que é a nossa amizade. Quero ceder meu ombro, abraço, sorriso lágrima e até minha cama se você dormir na minha casa. Espero que esse novo ano seja inaugurado com muitas energias boas e necessárias. E que só traga surpresas boas para nós. Meu pequeno coraçãozinho ama você!
"Dane-se tudo que não tiver Danni!"
Ao meu único, verdadeiro, e eterno amorzão... que se desdobra só pra aturar a chata aqui. RÊ, sem você eu sou aquilo que todo mundo já sabe: Avião sem asa, fogueira sem brasa, circo sem palhaço, namoro sem amasso... É, realmente eu não existo longe de você! Te Amo meu namorido! (Marido mesmo só daqui a 10 meses, rs)

Churrascão rolando...

Na virada, já prota pra mimi...

E 2008 será sem dúvida como o Bradesco... Completo!
Meu Beijo,
Carolll

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS
Read Comments